Servidora do Tribunal de Contas é exemplo de sustentabilidade

Sexta-feira, 7 de outubro de 2016


Ao longo de sua existência o Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE/AC) vem realizando uma série de medidas sustentáveis que impactam de forma positiva o meio ambiente. Tais medidas têm por objetivo contribuir no processo de conscientização do servidor e demais colaboradores diante da necessidade de um comportamento ecologicamente sustentável.

A servidora do TCE/AC, Barbara Huberty, é um exemplo e desde 2008 vem fazendo a sua parte.

“Criar bons hábitos é algo desafiador, é o que costumo dizer. Separar as garrafinhas d’água para levar ao posto de coleta no horto florestal faz parte de uma rotina que me acompanha desde 2008, por acreditar que as pequenas mudanças fazem uma grande diferença na sociedade; e terceirizar a nossa responsabilidade ao Estado acreditando que cabe a ele proteger o meio ambiente, é um erro que não podemos cometer. “Mais do que uma ação individual, é pensar no coletivo. Recicle seus hábitos! ”, enfatiza.

De acordo com dados mais recentes do Projeto Catar, órgão responsável pela reciclagem em Rio Branco, cerca de 3 toneladas de resíduos sólidos foram recicladas. O Catar foi criado com apoio da prefeitura de Rio Branco, e trabalha sob orientação da Secretaria Municipal de Meio Ambiente.

Segundo o presidente dos catadores do Projeto Catar, Cleiton José Da Silvas, vários pontos da cidade são atendidas pelo Catar e todos podem fazer a diferença.

“Trabalhamos de forma organizada em Rio Branco, realizamos a coleta para retirarmos do local o maior número de latas e outros materiais que possam ser reaproveitados e, posteriormente, revendidos como matérias-primas para a criação de outros objetos. Na cidade temos os pontos do Horto Florestal, Parque Chico Mendes, Secretaria de Obras Públicas, Junta Comercial do Estado do Acre e uma outra ao lado do Tribunal de Contas”.

Dados do portal do Governo Federal indicam que cerca 10% dos resíduos gerados nas cidades brasileiras são reciclados, o setor movimenta anualmente quase R$ 12 bilhões por ano, porém, mais de R$ 8 bilhões por ano são perdidos por que muitos materiais não são reciclados, já que a maioria dos municípios brasileiros não possui serviços de reciclagem e muito menos coleta seletiva.

Informações do IBGE mostram que um em cada três lares do país separa o lixo biodegradável daquele que não é., porém, a instituição indica que apenas 40% desse resíduo é coletado de forma seletiva quando chega à rua. O Brasil possui cerca de 4 mil lixões e apenas 30% a 40% do lixo coletado é depositado em aterros sanitários regulamentados.

Assessoria de Comunicação/Tribunal de Contas do Estado do Acre.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *